“Apanha- me também um poeta” – Papéis esculpidos de Bernard Jeunet

a arte NA PÁGINA Exposição no âmbito da ILUSTRARTE – Bienal Internacional de Ilustração para a Infância do Barreiro  2006 «O título da exposição, extraído de um poema de um dos seus livros, serviu de inspiração para nove poemas inéditos,

“Apanha- me também um poeta” – Papéis esculpidos de Bernard Jeunet

a arte NA PÁGINA Exposição no âmbito da ILUSTRARTE – Bienal Internacional de Ilustração para a Infância do Barreiro  2006 «O título da exposição, extraído de um poema de um dos seus livros, serviu de inspiração para nove poemas inéditos,

Poète – Gérard Le Gouic

Le poète dit à son enfant: je vais te cueillir un papillon, et si tu veux une grenouille bleue, et si tu es sage, un grillon, une fauvette. Attrape-moi aussi un poète murmura l’enfant, nous le libérerons de sa page

Poète – Gérard Le Gouic

Le poète dit à son enfant: je vais te cueillir un papillon, et si tu veux une grenouille bleue, et si tu es sage, un grillon, une fauvette. Attrape-moi aussi un poète murmura l’enfant, nous le libérerons de sa page

Procura-me um poeta mas não o encontres – ER

«Procura-me um poeta mas não o encontres. Aproxima-te da sua poesia. Primeiro, segue-a para todos os lados, ainda que ela te pareça ir a lado nenhum. Depois, leva-a para onde quiseres. Passarás por lugares que conheces muito bem, mesmo que

Procura-me um poeta mas não o encontres – ER

«Procura-me um poeta mas não o encontres. Aproxima-te da sua poesia. Primeiro, segue-a para todos os lados, ainda que ela te pareça ir a lado nenhum. Depois, leva-a para onde quiseres. Passarás por lugares que conheces muito bem, mesmo que

A um caçador de borboletas – Luísa Ducla Soares

Por entre os sonhos da idade enquanto a memória voar, sabemos que a eternidade é coisa de ir e voltar. Tal e qual como a Poesia, diz-me onde apanhas as flores e as borboletas que o dia recolhe nas suas

A um caçador de borboletas – Luísa Ducla Soares

Por entre os sonhos da idade enquanto a memória voar, sabemos que a eternidade é coisa de ir e voltar. Tal e qual como a Poesia, diz-me onde apanhas as flores e as borboletas que o dia recolhe nas suas

Apanha-me também um poeta – Matilde Rosa Araújo

Um aluno perguntou-me um dia: -Poeta é um homem que está a poer? Que sabia eu responder àquele olhar jovem e inquieto que perguntava? Poeta é criança adormecida que as palavras acordam. Poeta pode escrevê-las ou não as escrever nunca.

Apanha-me também um poeta – Matilde Rosa Araújo

Um aluno perguntou-me um dia: -Poeta é um homem que está a poer? Que sabia eu responder àquele olhar jovem e inquieto que perguntava? Poeta é criança adormecida que as palavras acordam. Poeta pode escrevê-las ou não as escrever nunca.

Anúncio – António Torrado

Quarenta poetas que dizem que são, quarenta poetas no cais da estação. Quarenta poetas são muitos, imensos no cais da estação perderam os lenços. Quarenta poetas são mais do que as uvas! Que dor, que tormenta Perderam as luvas. Quarenta

Anúncio – António Torrado

Quarenta poetas que dizem que são, quarenta poetas no cais da estação. Quarenta poetas são muitos, imensos no cais da estação perderam os lenços. Quarenta poetas são mais do que as uvas! Que dor, que tormenta Perderam as luvas. Quarenta

A máquina de apanhar poetas – José Fanha

Transcrito do blogue do autor «Quando acabei o meu trabalho ninguém queria acreditar que ali, à frente de todos, estava uma máquina de apanhar poetas. Para a festa de inauguração eu tinha convidado as pessoas mais importantes do país: o

A máquina de apanhar poetas – José Fanha

Transcrito do blogue do autor «Quando acabei o meu trabalho ninguém queria acreditar que ali, à frente de todos, estava uma máquina de apanhar poetas. Para a festa de inauguração eu tinha convidado as pessoas mais importantes do país: o